domingo, 30 de abril de 2017

O jogo baleia azul e o medo


Não vou dissertar acerca do jogo poque penso que todos nós já lemos acerca dele e já sabemos do que se trata...mas tenho medo. Muito medo!


A minha filha ainda é bebé e claro que neste momento não corre este perigo, mas quando for uma adolescente espero que tenha o discernimento para perceber que não pode e não deve entrar neste tipo de jogos, neste tipo de manipulações.

Ao ler noticias sobre este assunto, para além do medo em si, assustam-me os comentários que vou lendo. Que estas crianças e adolescentes deviam levar porrada, que os pais são irresponsáveis, que os miúdos são burros, que Darwing deve estar orgulhoso porque isto é apenas uma forma de seleção natural!!!???

Isto só mostra a incompreensão que ainda existe para doenças sérias como a depressão, a ansiedade e situações traumáticas como o bullying. Estes miúdos precisam de ajuda, precisam muitas vezes de uma palavra de compreensão, de ajuda, de carinho, de empatia. Para alinharem neste tipo de jogos é porque algo se passa e não deve ser encarado de ânimo leve.

Não tenho a pretensão de ser a melhor amiga da minha filha, mas espero que um dia, se ela  for sujeita a algum tipo de chantagem ou de manipulação deste ou de outro tipo, que saiba que em casa tem um pai e uma mãe a quem pode recorrer para pedir ajuda, para conversar e para desabafar.

Que mundo é este? Quem são estas pessoas que criam este tipo de situações? Que se deliciam com a infelicidade e com o desastre dos outros? Tenho medo, tenho muito medo e peço ao universo, a Deus, ás estrelas...seja lá quem for que nunca nenhum filho meu tenha que passar por uma situação de aflição, de bullying, de chantagem. 

sexta-feira, 28 de abril de 2017

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Lua de Mel

Como já tinha partilhado convosco aqui, as incertezas quanto à Lua de Mel são muitas.
Vamos não vamos?...
Enfim, uma indecisão, mas confesso que a balança está a pender mais para o vamos.

Não sendo nós noivos convencionais, não queremos uma tipica viagem de resort, com tudo incluido numa ilha paradisiaca, preferimos conhecer cidades.

A minha mente sonha, viaja e pensa muito nisso. 
Ultimamente tenho ido até aos paises nórdicos. Adoravamos conhecer e acho que seria uma boa opção. Ainda nada está decidido e tuso está em cima da mesa.

Veremos :)

Estocolmo

Helsinki

Oslo

terça-feira, 25 de abril de 2017

25 de Abril

Que nunca nos esqueçamos do significado deste dia, do que ele representa para nós, para a liberdade e para a igualdade.
Que seja, não só hoje mas sempre, motivo de reflexão e análise da sorte que temos e que estes homens nos proporcionaram.


domingo, 23 de abril de 2017

Levar as sobras para casa

No outro dia ouvi qualquer coisa na televisão sobre isto. Ouvi muito mal e prestei pouca atenção, mas quando li a reportagem percebi melhor do que se tratava.
Levar os restos da refeição que se fez no restaurante. Sim ou não?

Para a maioria de nós é sempre não. Aliás, que vergonha pedir os restos certo? Podem ficar a olhar para nós a pensar os pobretas que somos, que temos até que levar os restos porque não temos dinheiro para cozinhar em casa.

Esta é a ideia que praticamente toda a gente tem e eu estou incluída  aqui. Eu tenho vergonha de pedir os restos da minha refeição. E ás vezes sobra mesmo muita coisa. Conheço quem peça sempre os restos. Sempre! Até as manteiguinhas e entradas que muitas vezes não comemos e são cobradas na mesma. Ela pede, eu invejo-lhe a coragem e já ouvi muitas criticas e muito gozo com ela por causa disso.
Mas não estarão estas pessoas corretas? Porque não começarmos a ter a coragem de pedir para nos fazerem um embrulho com o que não comemos? Afinal vamos pagar por aquilo não e?

Tendo em conta o que tenho visto no programa Pesadelo na Cozinha da Tvi até tenho medo de imaginar o que alguns restaurantes podem fazer com o que sobra do prato dos clientes...

Para além de levarmos connosco o que iremos pagar, vamos poupar dinheiro porque essa comida irá ser aproveitada e evitamos assim  o desperdicio. Tudo vantagens certo?


quinta-feira, 20 de abril de 2017

Alienação parental

Não sabia da existência da série documental "Vidas Suspensas" da Sic. 
Foi por acaso que na segunda feira a televisão de casa estava ligada neste canal a esta hora e o programa chamou-me a atenção.
Pelo que percebi todas as semanas o tema é diferente e as pessoas entrevistadas são outras. Esta semana o tema era a Alienação Parental.

Confesso que não é tema que conheça muito bem e foi mesmo isso que me chamou a atenção. Quis conhecer e percebi que alienação parental é quando um pai/mãe manipula o filhos/filhos criando uma imagem negativa e distorcida do outro progenitor, para que este seja "odiado" pela criança. Basicamente é utilizar os filhos como instrumentos para atingir o outro.

Achei incrível e surreal alguém conseguir agredir psicologicamente uma criança desta maneira.

Quando ocorre uma separação, seja porque motivo for, por mais grave e trágico que seja, os filhos nunca têm culpa e não podem de maneira nenhuma ser utilizados como arma de arremesso para atingir o pai ou a mãe.

Não sei o dia de amanhã, e espero sinceramente ficar com o pai da minha filha (que agora também é noivo) até ao fim dos meus dias, mas espero que se algo acontecer, eu não me torne numa pessoa má, mesquinha e sem carácter para fazer isto.

Deu-me tremenda pena dos pais que foram entrevistados no episódio. Ver os filhos apenas uma vez por mês (com sorte), fazer 600km todos os fins de semana para estar com eles, recorrer frequentemente a tribunais apenas para poder olhar para eles....E não fazia ideia da quantidade de pais que estão a viver esta situação atualmente.

Estamos no século XXI ou retrocedemos e eu não me apercebi???

terça-feira, 18 de abril de 2017

Do sarampo e as vacinas

Nos últimos dias temos nos deparado com noticias acerca do aumento do número de casos de sarampo em Portugal, doença que estava erradicada do nosso país há alguns anos graças ao excelente plano de vacinação que o nosso país tem e fornece aos cidadãos.

Temos um país com imensos defeitos em muitas áreas, mas na saúde somos bons, arrisco-me a dizer que somos muito bons. E aqui eu sei o que digo. 

Temos também uma série de "modas", uma panóplia de ideias que vão se alastrando e difundindo na sociedade, algumas muito giras e engraçadas, outras que me fazem uma tremenda comichão e aflição e que me são muito difíceis de engolir. Uma dessas modas catitas é a de não vacinar as crianças. 
Não vacinar pelos vistos é trend, é cool e no meu ponto de vista é estúpido.
Muito estúpido e outras coisas que me apetecia adjetivar mas não vou escrever para não ferir a leitura alheia.

Atualmente e infelizmente as vacinas não são obrigatórias. Eu acho que deviam ser. Os pais que não vacinam os filhos deviam ser responsabilizados pelos danos que causam ás crianças, não só ás deles mas aos filhos dos outros. Se morrer uma criança com sarampo, meningite ou outra doença para qual existe uma vacina, só porque os pais acharam que não a deviam vacinar, isso não é negligência? Se eu andar de carro com a minha filha e não a levar na cadeira auto eu sou mãe negligente e sou multada por isso, e com toda a razão certo? Então os pais que escolhem não vacinar os filhos contra uma doença altamente contagiosa e mortal como o sarampo não sofrem consequências porquê?

Atenção que não estou a falar da varicela que é uma doença "normal" não traz consequências por aí além e não é mortal.
Temos um dos melhores planos de saúde do Mundo. As vacinas não são todas gratuitas é verdade, mas a maioria é, e estas modas estão basicamente a destruir tudo aquilo que se foi construindo e conquistando ao longo dos anos.

Mais,as crianças não têm poder de escolha, não têm opção. Somos nós pais que temos o dever de cuidar delas, elas têm o direito de serem protegidas. 

Da minha parte, a minha filha leva todas as vacinas que houver, sejam do plano ou extra plano. Prefiro gastar dinheiro a protegê-la do que gastar em férias, roupas, jantares e coisas fúteis, e apesar de reconhecer que é muito difícil instituir a obrigatoriedade de vacinar, espero que seja um passo que consiga ser implementado no futuro.

sábado, 15 de abril de 2017

Oh :(

E começar o dia com o telemóvel avariado? :(
Não gostei nada desta forma de começar o dia. Lá terei que ir comprar um. 
Só não sei é qual!
Sugestões?

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Pesadelo na cozinha 2

Já tinha comentado aqui a minha estupefacção com a situação de alguns restaurantes que vemos neste programa, mas nada comparado com este. Depois de assistir a este episódio chego apenas a uma conclusão: ou almoço/janto em restaurantes onde a cozinha seja aberta e ás claras para os clientes, ou fico em casa. 
Que nojo. É só isso que tenho para dizer. Que nojo.

E questiono...onde anda a ASAE nestes casos? Em vez de se preocupar em fiscalizar a higiene e a sanidade em restaurantes e estabelecimentos afins, anda a multar os vendedores de bolas de berlim e outros durante o verão, que não fazem mal a ninguém e andam horas e horas debaixo de calor e sol forte provavelmente para ganhar uns míseros euros!!

Há que haver prioridades, e sítios como estes não podem/devem estar abertos ao público.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Praia

Sábado foi dia de aproveitarmos o maravilhoso dia que São Pedro nos proporcionou e fomos dar a conhecer a praia à pestinha.

Apenas no final do dia, com o chapéu colocado e protetor solar claro!

A filhota adorou estar na areia. Primeiro estranhou e olhou para tudo com ar desconfiado, mas logo a seguir foi uma alegria. Toca a brincar e a rir :)

Filha minha tem que gostar de praia senão dá-me um desgosto :p



segunda-feira, 10 de abril de 2017

Os convidados

Isto de planear um casamento é muito giro e muito engraçado, mas há coisas que dão muito que pensar e chegam a "moer" o pensamento.

Quando chegamos ao tema convidados muito há para dizer.
Eu sempre disse que se e quando casasse a lista de convidados ia ser fácil de organizar e que sabia perfeitamente quem queria e principalmente quem não queria no meu dia.

Pois agora que me vejo a planear o dito cujo, constato que a tarefa não é tão fácil quanto pensei.

Há pessoas óbvias como a família e os amigos chegados que quero que estejam presentes, mas depois há casos que não são assim claros. 

Por ex, as colegas de trabalho que falam comigo todos os dias do casamento, fazem perguntas sobre os planos, que vibram com o assunto, que contam os dias comigo... eu penso, mas será que esta pessoa x está à espera que a convide? E não é que não queira que elas não vão, muito pelo contrário, por mim ia o mundo todo, mas é difícil decidir quem convidar e se convidar. O problema principal é mesmo o orçamento. Somos nós que vamos pagar o casamento, e claro que temos que refrear algumas ideias porque simplesmente não dá para tudo.
Isto é sempre muito bonito mas ninguém entende que não podemos convidar toda a gente porque não há orçamento para tudo.

Tenho colegas de trabalho que queria muito que fossem, mas sinto que se convidar algumas, as outras vão ficar tristes/aborrecidas/zangadas.

Ainda tenho algum tempo para pensar neste assunto, e entretanto nas minhas pesquisas pelo mundo do pinterest encontrei estas imagens que talvez me ajudem a tomar uma decisão:






domingo, 9 de abril de 2017

Domingo de Ramos

E hoje é o primeiro Domingo de ramos que temos com a nossa filhota.

É  dia de irmos aos padrinhos levar umas lembranças, brincarmos com a nossa pestinha e passarmos umas horas felizes e agradáveis em familia.

Bom Domingo de Ramos para todos :)



sexta-feira, 7 de abril de 2017

Agradecer

Quando vejo tanta coisa má e tão pouca sorte a acontecer à minha volta, só me apetece agradecer por tudo de bom que tenho na vida.
Tantas vezes me queixo de coisinhas irrelevantes e sem importância nenhuma, que me esqueço do que realmente importa. Tenho uma familia linda, temos saúde, sorte, paz e sossego e isso é o bem mais precioso que podemos pedir a Deus e ao Universo.

É uma pena que seja preciso olharmos para a pouca sorte do outros para nos lembramos da nossa!

terça-feira, 4 de abril de 2017

Pesadelo na cozinha

Tenho acompanhado o novo programa da TVI,  Pesadelo na Cozinha, e sendo pessoa que adora almoçar e jantar fora, ando com medo. Muito medo das cozinhas dos restaurantes e cafés que por aí se espalham.
Não podemos partir do principio que são todos assim, claro que não. Existem por aí muitos que devem primar pela higiene e pelas boas condições de sanidade, mas estes exemplos são assustadores, o que faz com que a minha vontade de fazer refeições fora esteja muito refreada.
Comidinha caseirinha é que é boa!


segunda-feira, 3 de abril de 2017

O Mundo Perfeito

Vivemos cada mais numa sociedade que nos obriga e instiga a sermos perfeitos. Em tudo, mas para nós mulheres principalmente na maternidade.

Os nossos filhos têm que ser sempre os melhores, mais desenvolvidos que os outros, que gatinham primeiro, que caminham primeiro, que comem melhor, que se riem mais, são mais simpáticos, vestem-se melhor, bla bla bla...

Nós mães temos que estar em forma uma semana depois do parto, temos que estar sempre felizes e bem dispostas, nunca podemos estar cansadas, nunca podemos estar aborrecidas, nunca podemos dizer que sentimos falta de tempo para nós,...

Temos que manter a aparência que a maternidade é um mundo perfeito, sempre feliz, que os nossos bebés são uns anjos querumbins e o quarto deles é um mundo encantado, onde reina sempre a ordem e a felicidade.

Ser mãe é o papel mais importante da maioria das mulheres, mas não temos que ser pressionadas para sermos perfeitas. Ninguém o é. Eu não sou de certeza.

domingo, 2 de abril de 2017

Ser mãe

Ser mãe é ter medo,

Medo que ela se engasgue com alguma coisa, medo que ela caia, medo de descer escadas com ela ao colo, medo de andar de carro com ela (não medo de mim, mas medo dos outros) medo que ela se magoe seja lá com o que for, medo das doenças...
Tenho medo da distância, medo que ela não goste de mim, medo de falhar, medo que ela me odeie, medo de não saber educá-la, medo de um dia perder as estribeiras com ela...
Tenho medo de ficar doente e não poder acompanhar o seu crescimento...

Ser mãe é aprender a viver com medo, é ter sempre fé que tudo vai correr bem, é tentar fazer o melhor que pode e que sabe com toda a coragem e amor infinito que tem no coração.

Pearl Jam

Parece que a loucura se instalou no nosso país: bilhetes esgotados para ver Pearl Jam no Nos Alive 2018 no dia 14 de Julho. E eu? Eu fico...